Sinalização no transporte de cargas: entenda as diferentes regras

Algumas sinalizações são obrigatórias para o transporte de carga, em especial quando falamos de produtos perigosos sendo transportados. Confira agora os principais itens obrigatórios para a sinalização no transporte de cargas.

Sinalização no transporte de cargas

Sinalização Especial para CVC (Combinações de Veículos de Carga)

Como o nome já diz, o CVC acontece quando mais de um veículo de carga é combinado no mesmo caminhão. Como exemplo, temos o bitrem – um tipo de caminhão que possui uma ligação composta por um total de sete eixos e interligados por um engate do tipo B (quinta roda).

Para estes veículos, que têm um comprimento excedente a 19,80 metros, é obrigatório o uso de uma placa traseira. Entre suas especificações, estão a necessidade de ser metálica ou de madeira com película refletiva. Além disso, a placa deve ter faixas inclinadas de 45º da direita para a esquerda, de cima para baixo e na cor preta e laranja alternadamente.

Fonte: http://www.der.pr.gov.br/

 

Vale ressaltar que esta sinalização precisa vir acompanhada de lanternas laterais colocadas a intervalos regulares de, no máximo, 3 metros entre si. Assim, quem estiver na estrada consegue enxergar a sinalização do comprimento total.

Em relação às regras nas rodovias, esses caminhões não devem trafegar no período da noite e nem ultrapassar a velocidade máxima de 80 km/h. Também é obrigatório que haja colocação de placas de sinalização em todo o trecho da via, avisando aos outros motoristas que há presença de veículos longos.

Por último, o responsável que quiser requerer a AET (Autorização Especial de Trânsito) para a CVC deverá apresentar: planta dimensional da combinação, distância entre eixos, lanternas de advertência, peso por eixo, CMT (Capacidade Máxima de Tração), placa traseira de sinalização e mais.

Sinalização dos veículos que transportam cargas perigosas

Os veículos que transportam cargas perigosas precisam lidar com um número maior de sinalização para alertar aos outros motoristas o tipo de carga que o caminhão transporta.

A identificação dos produtos perigosos é feita por meio de retângulos laranjas, definidos como Painel de Segurança e losangos (que podem variar de cor) definidos como Rótulos de Risco. Confira algumas características exclusivas destas duas placas:

1. Painel de Segurança

Esta placa tem formato retangular, sendo que as arestas horizontais devem medir 40 centímetros e as verticais 30 centímetros. O fundo do painel deve ser na cor laranja com bordas pretas de, no máximo, 1 centímetro de espessura.

Sinalização no transporte de cargas

A placa também deve conter o número de risco da carga e o número da ONU (Organização das Nações Unidas), sendo que:

  • Número ONU: é uma identificação composta por quatro algarismos que reconhece a mercadoria transportada de acordo com a tabela internacional de classificação de produtos perigosos. Estes números devem ser fixados na parte inferior do Painel de Segurança, abaixo do número de risco. A fonte dos algarismos devem ser de 10 centímetros de altura.
  • Número de Risco: identifica a categoria e a intensidade do risco que a carga oferece. Formados por dois ou três algarismo, a relevância do risco é registrada da esquerda para a direita. Todos os números presentes na placa têm o significado de acordo com a sua classe de risco. Os significados destes números podem ser observados na tabela abaixo.

Significado dos algarismos no Número de Risco

2Desprendimento de gás devido à pressão ou à reação química
3Inflamabilidade de líquidos (vapores) e gases ou líquido sujeito a auto aquecimento
4Inflamabilidade de sólidos ou sólido sujeito a auto aquecimento
5Efeito oxidante (intensifica ao ter contato com fogo)
6Toxicidade ou risco de infecção
7Radioatividade
8Corrosividade
9Risco de violenta reação espontânea
XSubstância que reage perigosamente com água

Observações referentes aos algarismos no Número de Risco

  • O risco de violenta reação espontânea (número 9) inclui a possibilidade de explosão, desintegração ou reação de polimerização, seguido de desprendimento considerável de calor ou gases inflamáveis/tóxicos;
  • Quando o número de risco for precedido da letra X, não deve ser utilizado água no processo de contenção;
  • A repetição do número indica um aumento na intensidade daquele risco;
  • A organização dos algarismos no número de risco são por ordem de perigo, sendo que o primeiro é o principal.

Resumindo, o retângulo laranja do Painel de Segurança deve ser composto da seguinte forma: linha superior com o número de risco e na linha inferior o número da ONU. Caso esta placa não apresente nenhuma identificação, significa que o caminhão está transportando mais de uma carga perigosa.

2. Rótulos de Risco

Ao contrário do Painel de Segurança, os rótulos de risco têm formato de losango e devem ter arestas de 30 centímetros. Estas placas devem conter uma ilustração que representa o tipo de perigo do produto, a descrição da mercadoria e o número que represente a sua classe de risco. A cor da placa também define qual é a classe da carga. Ao todo são 9 classes, sendo elas:

  • Classe 1: produtos explosivos;
  • Classe 2: gases;
  • Classe 3: líquidos inflamáveis;
  • Classe 4: sólidos inflamáveis;
  • Classe 5: substância oxidantes e peróxidos orgânicos;
  • Classe 6: substâncias tóxicas e substâncias infectantes;
  • Classe 7: materiais radioativos;
  • Classe 8: substâncias corrosivas;
  • Classe 9: substâncias e artigos perigosos diversos.

Vale ressaltar que a legislação brasileira também estabelece que todos os tipos de transportes de cargas e suas formas intermodais (rodoviário, aéreo, ferroviário, etc) tenham uma identificação dos volumes e embalagens. Esta sinalização deve vir com símbolos de armazenamento e manuseio, mesmo para produtos classificados como não perigosos.

Posicionamento da sinalização no transporte de cargas

Os painéis e rótulos podem ser posicionados no caminhão da seguinte forma:

  1. Lateral: os itens devem ser expostos próximos à traseira do veículo e no centro vertical;
  2. Dianteira: na parte da frente só o painel é necessário e deve ficar na parte inferior, próximo à faixa de sinalização;
  3. Traseira: na parte de trás do caminhão é obrigatório a exposição do painel e do rótulo.

 

A sinalização no transporte de cargas é fundamental para garantir a segurança das estradas, tanto do condutor, quanto da carga e dos demais motoristas. Para saber quais são os principais desafios do setor de transporte de cargas e como posso contorná-los clique aqui e baixe gratuitamente o e-book “O que todo dono de Transportadora e Gestor de Frota devem saber?”.

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever-se  
Notificação de
Compartilhar9
Compartilhar
+1
9 Compart.