Mulheres no segmento de transporte

Mulheres no segmento de transporte
Mulheres no segmento de transporte

A imagem acima é da atriz Patrícia Pillar em 2003, quando viveu a caminhoneira Rosa, na série Carga Pesada. Para algumas pessoas ainda é estranho ver mulheres na “boleia de um caminhão”, mas essa realidade tem se tornado cada vez mais comum.

As mulheres realmente dominaram o mercado de trabalho e hoje estão presentes em todas as áreas de atuação. E no setor de transporte e logística, não é diferente. Inicialmente, o segmento era dominado por homens, por ter surgido durante a guerra em meio aos militares. Hoje, as vagas estão sendo preenchidas cada vez mais por mulheres, que já provaram que o desempenho das mulheres nas estradas não fica nem um pouco atrás do dos homens. Muito pelo contrário.

Mudanças de paradigmas

As mulheres começaram a atuar no segmento de transporte e logística somente a partir da segunda metade dos anos 90, quando as funções deixaram de ser apenas operacionais e passaram também a ser táticas e estratégicas.

Com isso, vários paradigmas foram quebrados em termos de resultados. Isso aconteceu porque finalmente perceberam que as que mulheres planejam tão bem e até melhor do que os homens. Além disso, as mulheres são mais cuidadosas, detalhistas e possuem mais facilidade para trabalhar em equipe.

Nas empresas de transporte, elas exercem as mais diversas funções. Pegam longas estradas com caminhões pesados, e atuam como técnicas, coordenadoras, supervisoras, gerentes e diretoras.

Desigualdade ainda prevalece

Mesmo com essa mudança de cenário, ainda há desigualdade em questões de remuneração. Segundo dados do Fórum Econômico Mundial, a média de renda anual das mulheres é cerca de 40% menor que a dos homens. No Índice Global de Desigualdade de Gênero, o Brasil está como o 2º pior colocado na igualdade de salário entre homens e mulheres.

Leia também: Como ler um Pneu – Saiba interpretar as informações técnicas da lateral

Compartilhar
Compartilhar
+1
0 Compart.