Informações de pneus: 8 coisas que todo transportador precisa saber

Obter informações de pneus é o primeiro passo para um processo logístico de qualidade e com redução de desperdícios. Ao controlar seus pneus, você garante segurança aos passageiros e demais veículos nas rodovias, e reduz gastos, pois esta peça é responsável por boa parte dos custos totais de uma frota de veículos.

Porém, muitos transportadores ainda têm dúvidas sobre quais dados monitoraronde encontrá-los e como eles podem impactar nos custos finais. Confira a seguir as principais informações de pneus que todo transportador precisa saber.

Informações de pneus: 8 coisas que todo transportador precisa saber

1. Os pneus têm data de validade

A maioria dos pneus tem validade de cinco anos a partir da data de fabricação, informada por um número de quatro algarismos na lateral do pneu, próximo à palavra DOT. Os dois primeiros indicam a semana de fabricação e os dois últimos o ano. Por exemplo, o número 0314 indicaria que o pneu foi fabricado na 3ª semana de 2014. Ou seja, a data de validade será em janeiro de 2019.

2. Números importantes na lateral para obter informações de pneus

Além da data de validade, as laterais trazem números e letras com informações de pneus importantes: número de fogo, medidas, indicador de desgaste, índice de carga, desempenho, composição, tipo de pneu, informação de segurança, velocidade máxima a que ele pode ser submetido, entre outros dados.

3. Há uma velocidade máxima para cada tipo de pneu

Nem todos os pneus podem atingir a mesma velocidade máxima. Este dado vem indicado junto às demais especificações na lateral da peça.

4. Há um peso máximo de carga para cada tipo de pneu

O mesmo cuidado vale para a carga máxima. Todo pneu traz o índice de carga máxima suportado sobre cada pneu, que deve ser respeitado para evitar sobrepeso e estourar os pneus.

5. Pressão do pneu

A pressão dos pneus deve estar dentro dos limites previstos pelo fabricante do caminhão. Leve em consideração a carga a ser transportada. Geralmente essa informação é encontrada na porta do veículo ou em seu manual.

Se a pressão dos pneus não for a mesma no mesmo eixo pode ocorrer um comportamento anormal do veículo, causando vibrações desnecessárias que diminuem sua vida útil e dos componentes da suspensão.

6. Os pneus aumentam o tamanho

Esse aumento não é perceptível a olho nu e acontece porque o veículo em movimento pressiona o ar na parte interna do pneu. Quanto mais ele gira, maior fica. Verifique sempre a pressão com os pneus frios para evitar que o calor do ar no interior leve a uma indicação errada.

7. Etiqueta do Inmetro

Os pneus mais novos apresentam uma etiqueta de avaliação de conformidade que possibilita aos consumidores realizarem escolhas mais conscientes no momento da aquisição. Ela garante um padrão mínimo de desempenho, promove melhorias na segurança e possibilita a redução da poluição ambiental.

8. Controle de pneus não é brincadeira

De acordo com um estudo realizado pelo Bridgestone em 2011, cerca de 63% dos veículos não estão em condições para rodar. Os principais motivos são o desgaste excessivo dos pneus ou problemas de pressão. Como a peça é o único ponto de contato entre asfalto e veículo, é vital seguir à risca as recomendações de segurança.

Os pneus utilizados no mesmo eixo devem ser montados sempre com a mesma marca, medida, código de velocidade e índice de carga.  É importante também sempre verificar se o pneu não sofreu nenhum dano ou corte que chegue até as cordas. Fiscalize ainda se não há formação de bolhas ou rupturas provocadas pela degradação da estrutura.

Controle regularmente os seus pneus e comprove se estão em bom estado e sem deformações. Para realizar um controle de pneus de frota eficienteTeste Grátis o Gestran Pneus e reduza em até 25% os custos em aquisição de novos pneus ou recapagens.

Leia também: Recapagem ou pneus novos: o que vale mais a pena?